Trocando figurinhas com o Diego Gerlach começamos a perceber quanta teoria a respeito de arte, e mais especificamente, quadrinhos, conseguíamos formular a partir de nossas conversas e referências simples. Nunca foi uma questão de tentar transformar quadrinhos em “algo sério”, e sim constatar que QUADRINHOS SÃO ALGO SÉRIO! Ou pelo menos podem ser. Ainda assim, não ache você, leitor, que “sério”aqui se refere a algum gênero específico como quadrinhos trágicos, ou biografias ou dramas e nem mesmo ao formato ‘romance gráfico’. E sim quadrinhos que envolvem conceitos, seja qual for o tema e forma utilizados.
***
A vantagem natural dos quadrinhos sobre outras artes, é a frescura dos seus conceitos e discussões (nota: desculpe a possível ambiguidade, é ‘frescura’no sentido de ‘novo’, rs) e a despretensão dos autores. É uma arte, digamos, menos contaminada por egos (eu disse menos, não imune) e chatos (teóricos) profissionais, que tendem a criar guetos.
***
Existem muitos quadrinistas da cena brasileira atual, que trabalham em cima de auto-teorias sobre seus trabalhos, a contragosto, de uma outra fatia da categoria, que acredita que os quadrinhos devem ser “soltos”mesmo, “sem cabecisses”(sic). É interessante que mesmo estes autores, ocasionalmente, trabalham com conceitos mais profundos, mas buscando a naturalidade da linguagem, longe do academicismo, longe dos textos de parede, que servem pra justificar trabalhos que, por vezes, não tem força por si só.
***
O objetivo deste sítio que você está é exatamente o mesmo: artigos sérios, porém despretensiosos.
Ou seja, aceitamos a idéia de que você não precisa ter uma extensa bibliografia para ser um bom teórico, ou ao menos não precisa construir um texto somente a partir de citações e referências.
Nós pensamos em algo como se fosse um coletivo, livre de amarras típicas de coletivos, de pessoas (principalmente quadrinistas, jornalistas, escritores e interessados) para escrever textos teóricos sobre quadrinhos. Abrindo assim campo para algumas discussões. Este sítio convidou pessoas da área ou de áreas análogas, com opiniões ricas buscando manter a interdependência. Por isso todo texto é, a priori, opinião do autor, apesar de deixar aberto para qualquer um que deseje opinar, criticar, etc
Se algumas vezes tivermos ‘textos rasos’, faz parte também da proposta do sítio: não se justificar quando achar que não deve, e não dar respostas quando achar que não deve, e as “respostas” dadas serão opiniões pessoais. .
(Lembrando uma coisa que é muitas vezes esquecida na modernidade: o expert, o mestre, estes são conceitos falsos. TUDO é opinião. Todas as pessoas tem preferências e preconceitos. E é
justo. (esta é também minha opinião).

***

Este sítio foi criado originalmente por mim, DW RIBATSKI, e após algumas conversas com DIEGO GERLACH decidimos transformá-lo em um portal coletivo de discussões e artigos sobre quadrinhos. Os membros não tem obrigação de ter peridiocidade, colocando seus textos quando tiverem, o que chamo de, ‘iluminações inevitáveis’.

O nosso mote é não ter formatações de texto ou postagem definidas, e por mais que tenhamos lido outros autores e nos influenciado, não nos sentimos na obrigação de fazer citações (que serão naturais quando a referência for muito nova para nós, talvez). Este sítio quer estimular discussões em nível acadêmico, porém, sem obrigação de bajular os sistemas já existentes de valoração de conhecimento, como o próprio ambiente acadêmico. Preferimos valorizar o conteúdo, e seguindo a linha do próprio meio que escolhemos trabalhar, produzir textos que tenham a ver, também, como o mundo real, e não com um ambiente asséptico carentes por sentir que os quadrinhos estão incluídos no ambiente/mercado de arte “séria”. Nós, autores, sabemos o quão sério é nosso trabalho e nossa pesquisa, e talvez este sítio seja uma forma de compartilhar isso.

Esperamos assim, enriquecer a produção nacional, através da auto reflexão.

 

Anúncios